| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • You already know Dokkio is an AI-powered assistant to organize & manage your digital files & messages. Very soon, Dokkio will support Outlook as well as One Drive. Check it out today!

View
 

Guia do TCC

Page history last edited by cristiane.pead 13 years, 10 months ago

Guia  do TCC - Versão resumida extraída do documento

http://peadgravatai8.pbworks.com/f/Guia+finalizado.pdf

 

 

LICENCIATURA EM PEDAGOGIA A DISTÂNCIA

GUIA DO ESTÁGIO CURRICULAR

E DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

 

 

TCC - p. 37 a 42

Avaliação - p. 31 e 32

 

9 ORIENTAÇÕES PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO

 

9.1 INTRODUÇÃO

 

A interdisciplina EDUAD050 – Trabalho de Conclusão de Curso, tem

caráter obrigatório e é ofertada no eixo 9 do curso. O produto resultante,

aqui denominado TCC, consistirá em um relato e análise de experiência,

tendo como base as práticas realizadas nas escolas durante o estágio obrigatório1

(EDUAD048 e EDUAD048 desenvolvidas no eixo 8 do curso).. O

TCC deverá ser resultado de reflexão que integre a construção teórica e as

experiências construídas ao longo do curso com as inovações pedagógicas

realizadas durante o estágio curricular. Em outras palavras, o TCC não pode

ser um texto que se restrinja a um relato de experiência ou mesmo a uma

revisão bibliográfica.

A natureza formativa desta interdisciplina se constitui como atividade

sistemática, direcionada a identificar problemas relevantes e suas possíveis

soluções, no âmbito de um processo que não pretende resultados definitivos

e que considera as especificidades do contexto em que cada estágio

foi realizado.

O ponto de partida para elaboração do TCC é uma problematização,

isto é, algo que é questionado sob um novo ponto de vista e as tentativas

para compreendê-lo. Sugere-se, entre outras possibilidades, que a questão

desencadeadora do TCC esteja relacionada a uma das indicações a seguir:

a) papel/atuação do professor: possíveis mudanças nas concepções

em função do seu trabalho realizado no estágio; formas de atuação

dos professores frente ao trabalho selecionado para o estágio;

b) desenvolvimento cognitivo dos alunos: possíveis influências das

práticas pedagógicas do estagiário nos avanços da construção da

1 O TCC deverá ser resultado de reflexão que integre a construção teórica com as

experiências adquiridas ao longo das práticas e do estágio obrigatório (CEPE/UFRGS,

Resolução n° 4/04).

 

autonomia, da colaboração e aprendizagem dos alunos em sala

de aula e/ou nos ambientes informatizados;

c) práticas pedagógicas e tratamento dos conteúdos: formas de tratamento

dos conteúdos que emergem das arquiteturas pedagógicas

no estágio, possíveis mudanças – flexibilizações, integrações

que buscam superar a fragmentação das disciplinas – nas concepções

em função das interações com os alunos, articulações

teoria-prática e reflexões durante a realizado no estágio, etc.;

d) uso das tecnologias e mídias: possíveis mudanças na compreensão

e formas de uso das tecnologias no contexto das arquiteturas

pedagógicas e trabalhos propostos no estágio – fomento do trabalho

interativo, de autoria, a busca de diferentes fontes de informação,

de mídias diversificadas e suas repercussões na aprendizagem

dos alunos;

e) organização institucional – possíveis mudanças no planejamento

e organização dos tempos e espaços de aprendizagem, a gestão

do trabalho com arquiteturas pedagógicas.

 

 

9.2 ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO TCC

 

9.2.1 Estruturação e Conteúdo

Apresentamos a seguir uma recomendação de estruturação do TCC e

uma breve descrição do conteúdo de cada uma de suas partes.

a) folha de rosto: título do trabalho, nome do/a aluno/a, nome da

instituição, unidade, curso, semestre, orientador/a e data;

b) resumo: máximo de 1500 caracteres (incluindo espaços);

c) sumário: título, seções que compõem a produção escrita, com

numeração de páginas;

d) introdução ao tema ou contextualização do estudo:

§ lembre-se de que o leitor não conhece o seu trabalho, por isso é

importante situá-lo. Pense no que ele precisa saber já no início

para poder entender o restante. Por exemplo: deixe claro o que é

este trabalho – explicite que será desenvolvido com base na sua

prática realizada na escola; especifique o seu foco e o(s) seu(s)

objetivo(s);

§ é importante situar o contexto mais amplo no qual o trabalho foi

realizado, de onde você coletou os dados e informações: a escola,

a série em que a experiência foi realizada, os alunos e professores

envolvidos, as parcerias com outros professores etc.

e) referencial teórico: o capítulo destinado ao referencial teórico deve

conter os aportes importantes da teoria que embasou o seu trabalho

no estágio. Esse referencial será elaborado a partir do que foi

estudado durante o curso e encontrará apoio em livros, textos,

artigos impressos ou digitais que tratem desse tema. Como é um

suporte teórico à análise do seu trabalho de estágio, é importante

relacionar o que dizem os autores, com o que você está observando

ou observou e refletiu no desenrolar do trabalho de estágio ou

está refletindo agora que está construindo o texto do TCC;

f) desenvolvimento da experiência (coleta e análise): Para relatar

e analisar a experiência é importante contar com bons registros de

dados. Por isso, é importante coletar e registrar o que será analisado,

tendo o cuidado de coletar evidências que concretizam os

relatos. Por exemplo: falas e atitudes dos alunos em relação às

propostas que foram trabalhadas; tipos de impactos que os recursos

usados imprimem na construção individual ou grupal; elementos

que demonstrem a evolução dos alunos relacionadas às suas

aprendizagens; replanejamentos (reajustes) imediatos realizados,

com base nas dificuldades ou necessidades dos alunos; motivação

dos alunos quanto ao uso das tecnologias; acompanhamento

e avaliação das contribuições das inovações nos ambientes da

escola, etc.;

Lembre-se que registrar comentários de alunos, perguntas e afirmações

que demonstram uma compreensão de algo, uma atitude

modificada frente ao trabalho dá riqueza e concretude ao

relato. Evidências são essenciais!!

§ como registrar? O registro pode ser feito de muitas maneiras:

anotações, vídeos, gravações, fotos, digitalizações das produções

dos alunos, etc. O registro precisa ser o mais completo possível,

assim, são evitados problemas durante o processo de lembrar/

reconstituir os momentos registrados. É recomendável que os registros

contenham dados concretos: nomes dos professores/alunos

presentes, dia e horário (duração) do trabalho, notas, filmes,

fotos sobre o que foi proposto aos alunos, o que eles fizeram, falaram

e também o que ocorreu no ambiente da escola, as atitudes

da instituição em relação ao trabalho, etc.

Quanto mais registros forem feitos, mais fácil será o trabalho de

relatar e analisar a experiência.

§ onde registrar? Todos os registros devem ser feitos no seu wiki

de estágio, em espaço específico para a preparação do TCC. Além

desse material, é importante lembrar que o portfólio (blog),

construído ao longo do curso, juntamente com os trabalhos de

avaliação finais de semestre (síntese-reflexão dos portfólios) também

apresentam registros e dados de situações e atividades experimentais

e teóricas que aprofundarão sua análise.

§ como analisar os dados registrados? No desenvolvimento do

TCC, além da explicitação de como os dados foram obtidos e

registrados, é necessário dizer como esses registros serão analisados.

Para favorecer o trabalho de análise dos dados, é importante organizar

tudo o que foi observado/registrado na prática de estágio

desenvolvida. Uma forma de organizar esses dados é reuni-los,

considerando determinados aspectos/dimensões da experiência,

tais como: Papel/atuação do Professor nos espaços escolares,

Condutas Cognitivas dos Alunos, Gestão da inovação na escola;

g) discussão dos resultados/considerações finais: O TCC será

finalizado com a elaboração de um texto contendo a apresentação

dos dados e dos resultados encontrados (as descobertas,

constatações) bem como os questionamentos que emergiram das

análises, as reflexões, as novas perspectivas de trabalho a partir

das reflexões desenvolvidas e questões que se abrem para novos

estudos;

h) referências: As referências são obrigatórias e constituídas por uma

lista ordenada dos documentos efetivamente citados no texto (NBR

6023, 2000). É importante que o TCC apresente os autores referidos

no texto, conforme regras da ABNT (observar material elaborado

pela Biblioteca Setorial de Educação FACED/UFRGS);

i) anexos: Os anexos são elementos opcionais, constituídos de “texto

ou documento não elaborado pelo autor, que serve de fundamentação,

comprovação e ilustração” (NBR 14724, 2002, p. 2). Os

anexos devem ser ordenados por letras maiúsculas e conter títulos

identificando o assunto;

 

9.2.2 Recomendações sobre ética na pesquisa

a) é necessário zelar pelo anonimato dos sujeitos e instituições envolvidas

no estudo. Recomendamos que sujeitos envolvidos sejam

apresentados por nomes fictícios ou alguma forma de

codificação tal como, por exemplo, a primeira letra de seu nome;

b) considerando-se a especificidade de cada TCC, recomenda-se

atenção à necessidade de uso de um “Termo de Consentimento

Informado”, seguindo as normas de ética na pesquisa na UFRGS.

 

9.2.3 Formatação

O texto do TCC deverá seguir as normas da ABNT2 para trabalhos de

caráter monográfico e ter entre 30 e 50 páginas, incluídas as notas de rodapé

e as referências. Nesse cômputo ficam excluídos os anexos.

9.3 APRESENTAÇÃO E AVALIAÇÃO

O workshop de avaliação do TCC terá dois momentos:

a) submissão do trabalho escrito, que será avaliado segundo sua

estrutura, conteúdo e expressão, bem como seu processo de construção.

A avaliação será apoiada pelos indicadores apresentados

na seção 8.3.1;

b) apresentação oral, a ser realizada em sessão pública, perante uma

comissão de avaliação, formada por orientadores de TCC. A avaliação

será apoiada pelos indicadores apresentados na seção 8.3.2.

 

 

 

9.3.1 Indicadores para Avaliação do TCC: Apresentação Escrita

Estrutura e Conteúdo

a) apresenta questão de investigação delimitada e objetivos coerentes;

b) desenvolve fundamentação teórica e métodos adequados à questão

e objetivos propostos;

c) constrói argumentos criativos e defende criticamente o seu ponto

de vista;

d) articula a análise com os aportes teóricos selecionados;

e) utiliza fontes diversificadas;

f) inclui resultados e discussão desses resultados (conclusões);

g) aponta as limitações do trabalho, questões em aberto e perspectivas

para trabalhos futuros.

Expressão

a) apresenta um texto bem estruturado, organizado e crítico;

b) evidencia linguagem clara e correção gramatical.

 

9.3.2 Indicadores para Avaliação do TCC: Apresentação Oral

a) apresenta organização e clareza na apresentação;

b) demonstra capacidade de argumentação e de análise/síntese;

c) observa o tempo estabelecido para a apresentação;

d) elabora adequadamente o material audiovisual para a apresentação;

e) evidencia conhecimento do tema nas respostas às perguntas realizadas.

 

9.4 DOCUMENTOS-REFERÊNCIA

a) CEPE/UFRGS. Resolução n° 4/04;

b) Normas para elaboração do TCC – Equipe de Séries Iniciais/FACED/UFRGS, 2003 (http://www.ufrgs.br/faced/comissoes/

comgrad/normas_TCC.pdf).

c) Orientações para Elaboração de Trabalhos Acadêmicos: Teses, Dissertações e Outros. FACED/Biblioteca Setorial, 2006.

d) ABNT. NBR6023: informação e documentação: elaboração: referências.

Rio de Janeiro, 2002. 24 p.

e) ABNT. NBR 14724: informação e documentação: trabalhos acadêmicos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002. 6 p.

 

 

 

8 DA AVALIAÇÃO E SEUS INDICADORES

 

 

A avaliação do estagiário será realizada de forma contínua, sistemática

e cooperativa, durante o desenvolvimento de todo o estágio e envolverá

análise das competências técnico-científicas e pedagógicas e do compromisso

social do estagiário. Os processos de planejar, executar e refletir têm

relação intrínseca com os indicadores das competências.

O estágio é composto por diferentes momentos de acompanhamento:

projeto de estágio, docência, relatório de estágio. Cada uma das etapas é

diretamente acompanhada, com etapas a distância e etapas presenciais.

Considerando que o estágio curricular supervisionado é obrigatório; é

um momento de formação profissional pelo exercício direto in loco; não é

uma atividade facultativa sendo uma das condições para a obtenção da

respectiva licença; é um momento para verificar e provar (em si e no outro)

a realização das competências exigidas na prática profissional e exigíveis

dos formandos, especialmente quanto à docência; não admite aligeiramento

nem precarização.

Os estagiários que necessitarem de afastamento ou faltarem às avaliações,

ou na apresentação do Seminário Integrador deverão participar da

aplicação de instrumentos extras.

Não há possibilidade de recuperação do estágio.

A avaliação final será expressa com os conceitos:

A – Ótimo

B – Bom

C – Regular

D – Aproveitamento insatisfatório

FF– Falta de frequência

O conceito final C é o mínimo exigido para aprovação em qualquer

atividade curricular, incluindo o estágio em sala de aula.

 

 

 

8.1 INDICADORES NORTEADORES DA VISITA IN LOCO

A visita in loco é uma etapa importante da orientação direta. É o momento

do contato direto entre a instituição formadora, o campo de estágio e

o fazer docente do professor em situação de estágio. A seguir, são descritos

e compartilhados alguns indicadores sugeridos para essa etapa:

a) observar, na atividade em desenvolvimento proposta pela (o) estagiária

(o): evidências do uso de arquiteturas pedagógicas que promovam

a ação, a cooperação, a postura investigativa, a

interdisciplinaridade, a articulação teoria e prática, considera o

cotidiano dos alunos;

b) observar a disposição dos alunos (grupos, círculo, U, filas, duplas,

etc.);

c) observar os movimentos do(a) estagiário(a) e dos estudantes na

sala: interlocução/relação com os estudantes (responde, questiona,

dialoga, explica, escuta, etc.), observar a participação e interesse

dos alunos, se possível, registrar falas significativas.

d) observar a condução da atividade pelo(a) estagiário(a) em relação

ao tempo (adequado, muito longo, muito rápido);

e) observar o material utilizado (adequado, suficiente, criativo, etc.);

f) observar produções disponibilizadas: trabalhos expostos, o uso das

paredes, do quadro, trabalhos acessíveis em diferentes mídias,

CDs, DVDs, vídeos, fotos etc.;

g) observar o uso de recursos e materiais de registro: caderno, folhas,

computador, máquina fotográfica, filmadora, etc.;

h) observar a organização dos ambientes de aprendizagem: sala de

aula, laboratório de informática, sala de recreação, pátio, áreas de

lazer, etc.;

i) observar a coerência entre plano de trabalho e a ação docente.

Em resumo, o estágio curricular supervisionado:

a) é obrigatório;

b) é um momento de formação profissional pelo exercício direto in

loco;

c) é um momento para se verificar e provar (em si e no outro) a realização

das competências exigidas na prática profissional e exigíveis

dos formandos, especialmente quanto à docência.

A legislação pressupõe o efetivo cumprimento das atividades previstas

para o Estágio Curricular Supervisionado. Ausências eventuais, devidamente

justificadas, poderão ser objeto de entendimento entre as partes.

Ausências constantes, no entanto, poderão gerar a iniciativa da parte

concedente para a rescisão antecipada do estágio.

Conforme o texto da legislação, existe a interpretação de que o estagiário

não pode se ausentar das atividades, motivo pelo qual não podem ser

aceitos atestados de qualquer natureza.

O bom senso entre as partes deve prevalecer. Para casos como a

licença maternidade poderá ser feito cronograma junto à estagiária de forma

a garantir a conclusão do estágio e também um período mínimo de

ausência das atividades em campo de estágio.

 

Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.